Início Destaque Após boicote dos governistas, Wilker pede abertura de nova CPI da SaúdeÉ...

Após boicote dos governistas, Wilker pede abertura de nova CPI da Saúde
É preciso investigar mais

106
0

O deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) afirmou nesta terça-feira, 6, em Sessão Ordinária híbrida da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), que irá solicitar a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar os contratos de gestão firmados pelo Governo para o gerenciamento do Complexo Hospitalar Zona Norte, que compreende o Hospital e Pronto Socorro Delphina Aziz e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Campos Sales.

Para o parlamentar, as investigações feitas pela CPI da Saúde apontaram indícios de fraude e desvio de recursos públicos nos contratos da Organização Social (OS) Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH) e do Programa Estadual de Parceria Público-Privada (PPP) Zona Norte Engenharia, Manutenção e Gestão de Serviços S.A. – SPE. A OS é responsável por toda a parte de assistência médica (consultas, cirurgias, exames) e a PPP pela manutenção e área não assistencial (manutenção predial, manutenção de equipamentos clínicos, central de material esterilizado, higienização, entre outros). “A CPI da Saúde materializou o dano ao erário e o desvio de recursos públicos praticados com essa OS no Amazonas. Irei propor, em caráter de urgência, que esta Casa abra uma CPI para apurar contratos da OS e da PPP que somam juntos mais de R$ 360 milhões por ano. Não irei fazer parte porque estou em processo eleitoral, mas é obrigação desta Casa apurar indícios de danos aos cofres públicos”, afirmou Wilker.

OPERAÇÃO RAIO X

O deputado aproveitou, ainda, para repercutir uma reportagem do Fantástico, da TV Globo, veiculada no último domingo, 4, sobre a operação Raio X, deflagrada pelo Ministério Público e Polícia Civil de São Paulo, que prendeu 53 pessoas suspeitas de desviarem R$ 500 milhões destinados ao combate do novo coronavírus (Covid-19) na rede pública de SP. “As Organizações Sociais têm que mudar de nomenclatura, não é mais OS, é OC, de organizações criminosas. Porque é criminoso aquele que desvia dinheiro da saúde em plena pandemia, pessoas morrendo e bandidos aparecendo em viagens internacionais e ostentando carros de luxo. Isso é afrontoso e, acreditem, o que está acontecendo em São Paulo, já acontece aqui”, ponderou Barreto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui