Início Destaque URGENTE: Psicopata que estuprou e matou Wemelly Santos, é encontrado morto em...

URGENTE: Psicopata que estuprou e matou Wemelly Santos, é encontrado morto em presídio de Parintins

609
0
Foto: Divulgação

AMAZONAS – Edno Michilles, de 20 anos, autor confesso do estupro e assassinato da pequena Wemelly Santos, de 5 anos, foi encontrado morto no presídeio de Parintins, na mnhã desta sexta-feira (18). Segundo o portal Parintis Press, a informação foi confirmada pelo delegado Adilson Cunha.

Relembre o crime 

Um crime bárbaro chocou os moradores da ilha na noite desta segunda-feira (14), uma criança identificada apenas como Wemelly, de 5 anos, foi brutalmente estuprada e assassinada por um vizinho que não teve o nome divulgado. O crime aconteceu na comunidade Betel, na Serra da Valéria, Zona Rural do município.

Segundo informações enviadas para a redação do Repórter Manaós, a mãe sentiu falta da criança por volta das 16h e saiu a procura. “Ela encontrou esse vizinho que é usúario de drogas, ele friamente, disse que tinha estuprado e matado, mas não sabia onde tinha deixado o corpo. Não lembrava”, disse a fonte.

No mesmo instante a mãe de Wemelly desmaiou e o irmão dela correu para segurar o suspeito, que apanhou dos moradores da comunidade. “Eles começaram as buscas. O homem falava que não lembrava se tinha enterrado ou jogado no rio”, falou a fonte.

Após intensas buscas, na manhã desta terça-feira (15), por volta das 6h30, o corpo da pequena Wemelly, foi encontrada dentro dágua em um tronco de árvore, com os pés e mãos amarradas. “Foi o tio quem a encontrou. Ele foi procurar na água limpa e calma, ficou procurando de canoa, deu para ver ela”.

De acordo com o delegado Adilson Cunha, titular da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Parintins, as investigações em torno da morte de uma criança de cinco anos, que teria sido abusada sexualmente, na Comunidade Bétel – Serra da Valéria, naquele município, seguem em andamento e mais informações não poderão ser repassadas para não atrapalhar o andamento dos trabalhos policiais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui