Início Destaque Carlos Almeida defende ZFM e manutenção da alíquota do IPI dos concentrados

Carlos Almeida defende ZFM e manutenção da alíquota do IPI dos concentrados

185
0

Vice-governador participou da 290ª Reunião do Conselho de Administração da Suframa

O vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida Filho, participou, nesta quinta-feira (20/02), da 290ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração da Superintendência da Zona Franca de Manaus (CAS), realizada no auditório da Suframa. Na solenidade, comandada pelo Carlos Alexandre da Costa, secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia; Carlos Almeida frisou que o Governo do Estado segue buscando estabilidade para a alíquota sobre o Imposto para Produtos Especializados (IPI) do Polo de Concentrados.

“Há uma preocupação permanente do Governo do Estado do Amazonas com relação à segurança jurídica. A grande temática referente à questão dos concentrados se trata, porque o recado que se quer dar para o resto do mundo, com relação aos investidores, é que o Amazonas é uma terra possível e passível de investimentos, de forma perene. O governador Wilson Lima está tratando disso em Brasília, porque estamos muito preocupados (com o futuro do modelo Zona Franca). Nós precisamos de algo muito mais estável para fazer um modelo de desenvolvimento aqui na região”, ressaltou o vice-governador.

Carlos Almeida também reforçou que as questões relacionadas à Reforma Tributária têm sido conduzidas em conjunto e de forma responsável. “Estamos em sintonia, tanto o Governo do Estado do Amazonas quanto a nossa bancada (no Congresso Nacional). Nós estamos trabalhando de forma contundente para que as modificações dessa Reforma Tributária não afetem o Estado do Amazonas. A grande preocupação é que as mudanças possam acabar solapando um modelo que tem sido responsável pela preservação da nossa própria floresta”, observou Carlos Almeida.

Também estiveram na reunião os governadores do Acre e de Roraima, Gladson Cameli e Antônio Denarium, respectivamente; o vice-governador de Rondônia, José Atílio Martins; além de parlamentares, empresários, dirigentes de órgãos públicos e representantes de entidades de classe.

Desenvolvimento econômico – O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa, destacou o potencial econômico que a região, em especial o Amazonas, tem. “A região amazônica tem um potencial extraordinário, a biodiversidade genética fantástica, produtos regionais extraordinários. Nós precisamos apoiar iniciativas que valorizem aquilo que a Amazônia tem de diferente”.

Carlos da Costa enfatizou que o Governo Federal quer impulsionar o desenvolvimento econômico da Amazônia. “O projeto do Governo Federal, hoje, é de apoiar iniciativas que partam do que a Amazônia tem de fantástico, biodiversidade, peixes e assim por diante. Estamos trabalhando, principalmente agora, com o Conselho da Amazônia, sob a liderança do vice-presidente (Hamilton Mourão), para que a região se desenvolva, preserve o nosso meio ambiente e, ao mesmo tempo, gere emprego e renda para a população”, disse o secretário.

Conselho de Administração – A primeira reunião do CAS de 2020 avaliou 32 projetos industriais – sendo 12 de implantação e 20 de atualização, diversificação e ampliação, com mais de US$ 188,7 milhões em investimentos, com expectativa de faturamento na ordem de US$ 1,2 bilhão e de geração de 1.380 postos de trabalho nos três primeiros anos de operação no Polo Industrial de Manaus (PIM). Além disso, a reunião foi comemorativa dos 53 anos de existência do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) e da Autarquia, a serem completados no próximo dia 28 de fevereiro.
“Nós tivemos esses projetos aprovados, que vão gerar de investimento, colocando em reais, um pouco mais de R$ 1 bilhão e vão retornar para a economia do Estado do Amazonas R$ 5 bilhões nos próximos três anos, gerando aproximadamente 1.400, 1.500 empregos. A próxima reunião será em Boa Vista, no Estado Roraima, demonstrando esse papel que a Suframa tem nessa nova formatação, de estarmos, de uma maneira itinerante, dando a oportunidade aos conselheiros de conhecerem as peculiaridades de cada Estado da região”, afirmou Alfredo Menezes, superintendente da Suframa.

Entre os projetos aprovados em destaque, a diversificação da empresa Tec Toy, visando à fabricação de telefones celulares, com investimento de aproximadamente R$ 79 milhões e expectativa de geração de 151 empregos. Outros destaques incluem o projeto de ampliação/diversificação da empresa Cal-Comp, voltado à produção de placas de circuito impresso montada (para uso em informática) e memórias RAM, com investimento de cerca de R$ 86,7 milhões e expectativa de geração de 63 empregos, e o projeto de implantação da empresa Tutiplast (filial), visando à produção de assentos para motos e peças plásticas injetadas, com investimento de aproximadamente R$ 24,8 milhões e expectativa de geração de 120 empregos. Ambas as iniciativas vêm reforçar o segmento componentista do PIM.

Projetos que utilizam matéria-prima regional em seus processos produtivos também ganharam evidência. Entre eles, a iniciativa de implantação da empresa Amazônia Polpas, visando à fabricação de polpas de frutas, concentrados para bebidas não-alcoólicas e geleias, doces, purês e pastas de frutas regionais, com investimento de aproximadamente R$ 6 milhões e expectativa de geração de 94 empregos, e da empresa WR Diniz, também para fabricação de polpas de frutas, com investimento total superior a R$ 2,2 milhões e expectativa de geração de 13 empregos.

“A reunião do CAS hoje demonstra e confirma a união dos governadores da Amazônia, em prol do nosso desenvolvimento. Com o apoio da Suframa e do Ministério da Economia, temos que criar condições para que todos os estados criem um ambiente favorável ao desenvolvimento, gerando emprego, renda e sustentabilidade”, pontuou o governador de Roraima, Antônio Denarium.

“O Amazonas, com Roraima e o estado de Rondônia somos irmãos, temos que caminhar juntos. O sucesso da Zona Franca é o sucesso do Acre, porque aqui tem acreanos também, que estão morando, estão trabalhando. A geração de emprego nos melhora em vários índices, segurança, saúde, que são os gargalos de todos os governadores”, concluiu Gladson Cameli, governador do Acre.

FOTOS: MICHELL MELLO/SECOM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui