Início Cidade Diante da explosão de casos, Platão passa a ser porta de entrada...

Diante da explosão de casos, Platão passa a ser porta de entrada para doentes de Covid

340
0

O Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Platão Araújo iniciou reorganização interna e se torna porta de entrada referência em atendimento de pacientes com sintomas da Covid-19. A equipe da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) esteve na unidade, na sexta-feira (25/12), para verificar o funcionamento do plano. O Amazonas tem mais de 20 mil pessoas monitorados por Covid, mais de 190 mil doentes, mais de 5 mil mortos e um sistema público estrangulado, onde o Delphina não suporta mais tanta gente.

Como vai funcionar – No novo fluxo, dentro do protocolo de classificação de risco de Manchester, pacientes de classificação azul e verde (pouco grave) que procurarem o Platão Araújo sem sintomas de Covid-19 serão referenciados para outras três unidades em zona geográfica próxima. Serão elas: os Serviços de Pronto Atendimento (SPAs) Enfermeira Eliameme Rodrigues Mady e Danilo Corrêa, além da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) José Rodrigues, todos na zona norte.

Delphina está lotado

Já os pacientes que apresentarem sintomas leves de Covid-19 e tiverem classificação azul ou verde serão atendidos no Platão Araújo, medicados e encaminhados para tratamento domiciliar.  Pacientes com classificação laranja e amarela (risco médio), com sintomas respiratórios ou não, serão avaliados no HPS Platão Araújo. Se não apresentarem sintomas de Covid-19, serão encaminhados pelo médico para tratamento domiciliar ou serão transferidos para outra unidade, dependendo do quadro clínico. Os que apresentarem sintomas de Covid-19 serão avaliados e, caso haja necessidade, internados no próprio HPS.

Wilson Lima afirma que sua prioridade é salvar vidas

Pacientes com classificação vermelha (alto risco), com quadro grave de Covid-19, serão atendidos diretamente no Platão Araújo e, após estabilização, internados na própria unidade. Caso sejam pacientes graves de outras patologias, serão estabilizados em área reservada para atendimento e transferidos via Sistema de Transferência de Emergência Regulada (Sister).

“Nós vamos fornecer o endereço para o paciente (classificado como azul ou verde) em um folheto, vai ser classificado e será referenciado. O paciente respiratório entra para a unidade (HPS) para o atendimento. O paciente classificado como laranja e amarelo vem para a UDC – Unidade de Decisão Clínica, onde será atendido saindo de alta para domicílio ou transferido para outra unidade”, esclareceu Mônica Melo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui