Início Cidade No Amazonas, médicos reclamam de calote do ministério da SaúdeCadê o dinheiro?...

No Amazonas, médicos reclamam de calote do ministério da Saúde
Cadê o dinheiro?

307
0

Eles deixaram suas casas e seus Estados para ajudar o Amazonas no auge da pandemia. Agora, estão pedindo do ministério da Saúde que pague pelo serviço prestado. Profissionais de saúde estão cobrando o governo Federal, que criou o programa “O Brasil conta Comigo”, mas até agora não pagou o que deve.

O primeiro grupo de 16 profissionais de saúde, entre enfermeiros, médicos e fisioterapeutas, chegaram a Manaus no dia 4 de maio. O ministério da Saúde prometeu benefícios como seguro de vida, insalubridade e adicional noturno. De acordo com os profissionais, esses benefícios não aparecem no contracheque.

“A sensação é frustrante, de desânimo, de tristeza e de muito medo ainda de não receber o que foi cumprido a nós”, disse um profissional que não quis ter o nome identificado, em depoimento dado ao GI. “Muitas pessoas já pediram empréstimos, outros colegas também estão super endividados e fazendo mais dívidas, e sempre promessas em cima de promessas, e nada de prazos, complicado”, disse outro, também ao G1.

“Quando estamos no trabalho, a gente se concentra, a gente tenta fazer o melhor possível, mas a gente chega no trabalho e sai de lá muito abalado, principalmente na saída né, ficamos naquela sensação de impotência e frustrantes diante de tudo que estamos passando”, relatou outro profissional.
Pazuello, Ministro da Saúde

NOTA DO MINISTÉRIO

O Ministério da Saúde informa que pagou as diárias do dia 20 de junho a 7 de julho. E que o salário será pago no primeiro dia útil de julho referente ao mês de junho. “Cabe esclarecer ainda que os profissionais foram recrutados, contratados e enviados emergencialmente para Manaus para resolver uma situação de desassistência e, por isso, foram encaminhados antes da assinatura dos contratos para que pudessem passar por capacitação e testagem para Covid-19. No intuito de assegurar o respeito às leis trabalhistas, as atividades laborais se deram somente após a regularização da cobertura contratual e resultado dos exames de investigação para Covid-19”, informou a nota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui