Início Policial Casal preso, admitiu ter espancado, matado e enterrado no quintal, criança de...

Casal preso, admitiu ter espancado, matado e enterrado no quintal, criança de 3 anos no AM

385
0
Foto: Divulgação

Mais um crime monstruoso foi confirmado pela polícia neste domingo. O pequeno Luiz Henrique dos Santos Oliveira foi morto em Nova Olinda do Norte  (município a 135 km de Manaus ), e o pai e madrasta foram presos pelo crime. Robert Nascimento Oliveira Júnior de 21 anos,  e a esposa Maria José de Bezerra Campos, de 24 anos, fugiram mas foram pegos pela Polícia Militar e Polícia Civil, suspeitos dos crimes de homicídio e ocultação de cadáver, que teve como vítima o filho de Robert, um menino de 3 anos.

O secretário de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates, determinou o envio de reforços para Nova Olinda do Norte, ainda no domingo, após o registro de tumultos populares no município em virtude da prisão de um casal suspeito de infanticídio. Os dois presos foram transferidos da cidade, na tarde deste domingo, e equipes policiais permanecerão em Nova Olinda para manter o controle.

De acordo com o delegado Claudenor Medeiros, titular da 47a Delegacia Interativa de Polícia (DIP), as equipes policiais foram acionadas na tarde de sábado (18/01) por agentes de saúde do município, informando que o filho de Robert estaria desaparecido. Os agentes estiveram em uma visita domiciliar na casa dos dois e acharam estranha a atitude dos dois, que contaram diversas versões sobre o paradeiro da criança, que não estava na casa no momento do atendimento médico.

As equipe policiais iniciaram as diligências e encontraram o corpo do menino enterrado no quintal da casa do casal, situada na estrada do Curupira, quilômetro 11, zona rural daquele município.

O delegado informou que a dupla teria admitido que, após agredir fisicamente a criança, a enterrou no quintal. O crime ocorreu, provavelmente, na última quarta-feira (15/01). O titular da 47a DIP disse, ainda, que após os procedimentos na delegacia Robert e Maria José foram transferidos para unidade prisional em outra cidade. Por questões de segurança, o destino não será informado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui