Início Policial Caso Kimberly: iniciou nesta quarta-feira (9), a primeira audicência do casoA miss...

Caso Kimberly: iniciou nesta quarta-feira (9), a primeira audicência do caso
A miss Manicoré foi morta a golpes de faca no apartamento do ex-namorado Rafael Fernandez, no Centro de Manaus

221
0
Foto: Reprodução

A 2.ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus iniciou na manhã desta quarta-feira (9), a primeira audiência do caso – para instruir o processo – que tem como réu Rafael Fernandez Rodrigues, ex-namorado da Miss Manicoré, Kimberly Karen Mota de Oliveira, que foi assassinada a golpes de faca no dia 11 de maio deste ano em um apartamento localizado na Avenida Joaquim Nabuco, no Centro de Manaus.

A audiência de instrução será presidida pelo juiz de Direito da 2.ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus, Anésio Rocha Pinheiro, sumariante do caso – magistrado responsável pela primeira fase de processo de crimes contra vida.

A defesa de Rafael Fernandez Rodrigues havia solicitado a realização de exames médicos psiquiátricos alegando que ele apresentava transtornos mentais, porém, os exames apontaram que, mentalmente, o acusado é perfeitamente são. Com isso, a ação penal que estava suspensa até o processo de Incidente de Insanidade Mental ser encerrado, segue seu rito normal e, como já foi oferecida denúncia pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), o próximo passo será a realização de audiências para a instrução do processo, que serão pautadas pela 2ª Vara do Tribunal do Júri.

Nessas audiências serão ouvidas as testemunhas de acusação, de defesa e o acusado. Concluída esta etapa do processo, serão feitas as alegações finais que serão analisadas pelo juiz, que irá proferir a Sentença de Pronúncia, na qual decide se o réu vai ou não a júri popular. Se for pronunciado, o processo será pautado para julgamento em plenário.

Fernandez Rodrigues foi denunciado pelo Ministério Público do Estado do Amazonas e vai responde pelo crime de homicídio qualificado (motivo torpe e recurso que tornou impossível a defesa da vítima).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui