Início Destaque Médico chefe de Parintins relata drama contra a covid: “Tive medo”12 dias...

Médico chefe de Parintins relata drama contra a covid: “Tive medo”
12 dias de muita batalha

451
0

Duas internações por causa do coronavírus. Essa foi a realidade enfrentada pelo médico Daniel Tanaka, anesteseologista chefe da equipe de enfrentamento da pandemia em Parintins. A primeira foi de 26 de abril até 6 de maio. A última terminou ontem e começou no fim de maior. Não se sabe, ainda, se ele achou que estava curado sem estar, ou se foi reinfectado. A Medicina não sabe se a pessoa pode pegar coronavírus duas vezes.

Tanaka foi tratado em São Paulo e deu um testemunho forte nas redes sociais sobre o que viveu. O médico chegou a ter 35% da força pulmonar comprometida. “Meus exames inicialmente piorando gradativamente. Concomitantemente, eu sofria com muita febre e dor no peito. Depois veio a falta de ar. E a necessidade de instalação de oxigênio. Nesse momento tive medo”.

A situação de Tanaka serve de alerta para o perigo da covid-19. Está longe de ser uma gripezinha. “Eu, como Médico, nunca serei o mesmo de antes. As feridas vão cicatrizar, e terei a certeza de que a minha missão será sempre a de aliviar o sofrimento humano”.

 

Texto de Daniel Tanaka

A vida pode não ser tão fácil, mas a cada obstáculo superado você ganha força pra seguir em frente.

Após 12 dias de internação hospitalar, a notícia mais aguardada:
“Você está de alta! “

Quantas vezes já dei essa notícia aos meus pacientes, com naturalidade.

Mas como paciente, é tão bom ouvir essas palavras! É como se a Vida estivesse sussurrando. Continue!

Durante a internação, tive alguns dias difíceis.

Meus exames inicialmente piorando gradativamente. Concomitantemente, eu sofria com muita febre e dor no peito.
Depois veio a falta de ar. E a necessidade de instalação de oxigênio.
Nesse momento tive medo.
Mais alguns dias tendo febre, e o fôlego curto, o cansaço fácil para tomar banho.
Introdução de antibiótico mais forte. E aos poucos, os dias se tornaram mais amenos.
No dia em que me livrei do oxigênio, uma notícia devastadora. A perda de um grande amigo, colega, um pai para mim. Foi um dia de tristeza profunda, de muitas lágrimas, e também de muita reflexão. Qual o sentido da vida? Que lições a pandemia deixará para a humanidade?
Uma lição que eu tirei dessa fase tão dolorosa:
A humildade é a essência de nosso viver. E deve ser nossa base.
Ninguém é superior a ninguém.

” Curar às vezes,
Aliviar frequentemente,
Confortar sempre “

Quero agradecer a todas as pessoas queridas pelas orações, mensagens de carinho e votos de superação. Agradecer a equipe de enfermagem e médica que cuidou de mim, e agradecer especialmente aos profissionais de saúde que se mantém na linha de frente, dando suas vidas nessa batalha.
Vocês me deram força para superar esses dias de isolamento.

A verdadeira felicidade vem da humildade e do reconhecimento que sozinhos somos muito pouco ou quase nada, e a vida somente se completa com
o real sentimento de amor ao próximo!!

Muito obrigado! Após minha plena recuperação retomarei, com toda força, meu lugar na linha de frente do combate à essa pandemia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui