Início Cidade Professora da Semed com salários atrasados chora, protesta e exige: ‘cadê o...

Professora da Semed com salários atrasados chora, protesta e exige: ‘cadê o respeito, David Almeida?’
Descaso com a educação

1338
1

Quanto vale o trabalho de um professor que sua a camisa todos os dias para ensinar e iluminar o caminho dos brasileiros? Parece que na Semed, em Manaus, não está valendo muita coisa. Ao menos foi o que se viu nesta sexta-feira (17), quando a professora Lívia Alencar Amine foi para a frente da Secretaria Municpal comandada por Pauderney Avelino contar à cidade sua situação humilhante.

Aos prantos, com uma panela na mão e um cartaz exigindo dignidade, ela contou que está com quatro meses de salários atrasados, sem ter como dar comida para a família, vendendo pirulitos, apesar da carga dobrada.

“Tenho que me humilhar, meu alunos e meus colegas sabem do que tô falando. A panela está vazia… senhor David Almeida, Pauderney Avelino, eu tô aqui pra me apresentar, meus alunos sabem que não estou recebendo. Muito prazer, meu nome é Lívia Alencar.”

Já são três anos sem reajuste na Semed, que paga um vale refeição de R$ 200 e um auxílio de R$ 167. Eleito sob a promessa de vaorizar a educação e apelando à memória dos educadores quando foi governador e usou o Fundeb para agradar a classe, David Almeida deixou professores como Lívia para trás.

“Os professores já não conseguem suportar ficarem sem receber seus salários pois estão com situação financeira em crise sem condições de pagar as contas de água, energia, aluguel, etc., e também sem condições de sustentarem dignamente suas famílias por conta dos altos preços da cesta básica, do gás de cozinha, da gasolina, etc.”, afirma nota da Asprom nesta sexta.

“Não, isso não acontece, a carga dobrada quando nós estabelecemos elas são pagas. O que está havendo aí é que uma professora está fazendo um movimento porque ela recebeu uma carga dobrada em junho e iria receber a partir de julho, houve um problema na tramitação e já determinei que isso fosse resolvido”, disse Pauderney, ignorando o sofrimento desta educadora.

Que futuro Manaus pode ter tratando professores desta forma?  “Eu passei o dia chorando, prefeito. Eu tô chorando agora na sua gestão o que eu não chorei nas outras.”

VAMOS AJUDAR A PROFESSORA?

Bradesco 

agência 3726 5 
Conta 0043692 5

VEJA O VÍDEO

 

1 COMENTÁRIO

  1. David Almeida veio pela mudança e colocou Pauderney q nunca agradou a classe educacional como secretário de educação. Decepção David, de novo não tem nada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui