Início Destaque Agentes denunciam piratas do turismo no AmazonasPerigoso, ilegal e nocivo

Agentes denunciam piratas do turismo no Amazonas
Perigoso, ilegal e nocivo

618
0

Imagina contratar um serviço de turismo para conhecer as belezas do Amazonas, e descobrir que se trata de um serviço não autorizado e que coloca sua vida em risco. Essa situação está ocorrendo todos os dias no Amazonas, de acordo com agentes de turismo que procuraram o Repórter Manaós para fazer a denúncia. Peter Hagnauer, Antônia Souza e Leonardo Mendes, afiram que o problema está tirando emprego dos legalizados, ameaçando as riquezas naturais e colando vidas em risco.

De acordo com Antônia Souza, o turismo inseguro é uma prática comum há muitos anos em Manaus. “Nós que estamos fazendo tudo certinho, dá revolta. A gente paga alvará, paga tudo, taxas da Prefeitura, tudo. Enquanto tem pessoas que sonegam impostos e colocam a vida do turista em risco”, desabafa.

Tirar fotos com animais é crime

É fácil encontrar ofertas de passeios baratos nas redes sociais, e muitas vezes os clientes não fazem ideia dos perigos. “Não existe sequer uma campanha para informar os turistas. Precisa ser uma agência com o símbolo da ‘cadastur’. Não pode pegar um animal para fazer foto. Isso é crime. A fiscalização não existe. O turismo nunca foi prioridade em Manaus”, afirma Antônia.

Agências precisam ter o Cadastur para promover turismo

Eles afirmam que mais de 20 mil pessoas que viviam do turismo estão desempregadas. “Já aconteceram vários acidentes em Manaus. Por exemplo, tomar banho no Encontro das Águas, que é proibido e perigoso. Chamamos isso de pirataria. Queremos que a Amazonastur se posicione. Essas pessoas fazem isso sem contribuir com nada para Estado e Município. Isso é injusto. Queremos que a Amazonastur fiscalize”.

AMAZONASTUR AFIRMA QUE FISCALIZA 

A Amazonastur afirma que faz ampla campanha e fiscaliza os ilegais. “O número de prestadores de serviços do Amazonas cadastrados no sistema Cadastur aumentou mais de 24% no primeiro semestre deste ano”, diz o órgão.

Fiscais da Amazonastur em ação.

“Vamos iniciar uma campanha muito forte para que o turista busque serviços credenciados e regularizados. Quando ele procura algum serviço que não é credenciado, nós, como órgão vinculado e delegado do Ministério do Turismo aqui no Amazonas, não temos como auxiliar esse turista. Se acontece algum problema com alguma empresa que é cadastrada, temos como cobrar e dar uma resposta a esse turista que teve qualquer tipo de problema”, destacou a presidente da Amazonastur, Roselene Medeiros.

Legalidade –  Além de gratuito, o cadastro é obrigatório, conforme a Lei nº 11.771, de 17 de setembro de 2008, para acampamentos turísticos, agências de turismo, meios de hospedagem, organizadoras de evento, parques temáticos e transportadoras turísticas. O cadastro também é obrigatório para exercer a profissão de Guia de Turismo, conforme Lei nº 8.623, de 28 de janeiro de 1993.

 

DENÚNCIAS PARA A AMAZONASTUR

Fone : (92) 2101-8154 (disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h)
E-mail : ouvidoria@amtur.am.gov.br

Além desses, você pode enviar sua manifestação pelos sites:
e-Sic : www.acessoainformacao.am.gov.br
e-Ouv : sistema.ouvidorias.gov.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui