Início Cidade Bebês prematuros viram super-heróis em maternidade de Manaus

Bebês prematuros viram super-heróis em maternidade de Manaus

584

[contact-form][contact-field label=”Nome” type=”name” required=”true” /][contact-field label=”E-mail” type=”email” required=”true” /][contact-field label=”Site” type=”url” /][contact-field label=”Mensagem” type=”textarea” /][/contact-form]

Eles chegam ao mundo muito pequenos, com baixo peso, pele fina e com a respiração irregular. São os bebês prematuros, que representam 7,9% dos nascidos no Amazonas e 9,1% dos nascidos em Manaus. De janeiro a junho, dos 37.056 nascimentos, 2.919 foram prematuros no estado. Em alusão ao Dia Mundial da Prematuridade, celebrado no dia 17 de novembro, a Maternidade Balbina Mestrinho, vestiu os bebês internados na UTI Neonatal com roupinhas de super-heróis, para simbolizar a vitória diária de cada prematuro.

A pequena Nohemy tem 22 dias e nasceu com 28 semanas de gestação. A mãe, Rodimar Del Carmen, é venezuelana e chegou ao Brasil há pouco mais de quatro meses. Ela disse que ficou assustada quando soube que a filha nasceria antes do previsto.

“Eu fiquei muito preocupada. Uma mãe não está preparada para receber um bebê prematuro, e sempre fica a preocupação, se vai vir bem, se vai ter saúde, e a gente fica preocupada com essa situação”, afirmou.

Desde que chegou à maternidade, Rodimar também pode ficar na Casa de Acolhimento, local destinado a mães que não moram na capital e que precisam acompanhar o tratamento dos seus bebês. Sobre a ação de vestir os bebês como super-herois, ela não hesitou em mostrar a emoção.

“É a segunda vez que ela se veste de heroína. Da primeira vez ela ficou de Mulher Maravilha, e agora ela está vestida de heroína também. É muito bom para a mãe com o seu bebê prematuro, e é a primeira roupinha que ela está usando. Ela é uma heroína mesmo, graças a Deus!”, disse.

Para a diretora-geral da maternidade, Rafaela Faria, o momento é de sensibilizar as famílias que acompanham os bebês dentro da unidade.

“Uma das formas de acolher é sensibilizá-las, porque não só os bebês são heróis. A família em si, é uma luta muito incansável que se faz para recuperar o peso, a imunidade, para que esse bebê fique bem. Então nós fizemos essa surpresa, justamente para incentivá-los, para mostrar que estamos sensíveis à situação dessas famílias, e, no momento que as mães estavam descansando, e os bebês também, nós os fantasiamos de super-heróis com o objetivo de homenagear essas famílias e levar para eles mais amor e mais acolhimento”, disse.

Práticas de humanização – O tempo médio de um bebê prematuro em leito de Unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN) é de aproximadamente 50 dias. Para ajudar no desenvolvimento dos bebês, as maternidades administradas pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam) realizam boas práticas e atendimentos humanizado.

“Além da humanização recomendada pelo Ministério da Saúde, nós temos uma equipe multidisciplinar que oferece todo o apoio para a família, tendo em vista que essas famílias passam um longo período aqui, não só os bebês mas a mãe, o pai. Nós temos também temos oferecido para essas famílias, principalmente as do interior, uma casa de apoio. Quando essa família não tem condições de ir e voltar para casa no mesmo dia, ela pode ficar hospedada o tempo de internação desse recém-nascido”, afirmou a diretora.

Um dos procedimentos adotados é o Método Canguru, que consiste em uma série de estratégias de cuidados para os bebês prematuros, que preza sempre pelo atendimento individualizado da criança e com a presença constante da mãe e do pai nas rotinas do tratamento dentro das maternidades Ana Braga, Balbina Mestrinho e Instituto da Mulher Dona Lindu.

Método Canguru – É um procedimento aplicado em três etapas. A primeira ocorre quando o recém-nascido está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em uma incubadora. Na segunda etapa, o bebê passa a receber os cuidados dos profissionais e dos pais em uma Unidade de Cuidados Intermediários (UCI). Nessa fase, o contato da mãe e do pai com o recém-nascido é maior. Inclusive, a mãe pode até voltar a se internar na maternidade, para poder cuidar do filho no restante do tratamento.

A última fase do Método Canguru ocorre já no ambulatório da maternidade, com retorno para consultas periódicas até que o bebê atinja o peso considerado ideal, que para o método são 2,5kg.

*Mês da Prematuridade* – O mês de novembro é considerado o Mês Internacional de Sensibilização para a Prematuridade, e o objetivo é alertar sobre o crescente número de partos prematuros e sobre como preveni-lo, e informar sobre as consequências do nascimento antecipado para o bebê, para sua família e para a sociedade.

*Com informações da Assessoria

Artigo anteriorfesPIM contará com Duty Free visando consolidar atrativo turístico no AM
Próximo artigoPresidiários de Manacapuru são transferidos para Manaus

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui