Início Cidade “Cadê o corpo do enfermeiro Gilberto?”, campanha é lançada após corpo desaparecer...

“Cadê o corpo do enfermeiro Gilberto?”, campanha é lançada após corpo desaparecer do Delphina
O enfermeiro 'Gil' faleceu no último domingo (27), vítima da Covid-19 após passar quatro dias internado

254
0
Foto: Reprodução

“Cadê o corpo do enfermeiro Gilberto?”, essa é a pergunta que não está sendo respondida desde a noite do último domingo (27), quando familiares e amigos do enfermeiro Gilberto Pinheiro da Silva, de 31 anos, foram informados do seu falecimento em consequência da Covid-19, no Hospital Delphina Aziz, após quatro dias internado. O mais assustador dessa história é que o corpo sumiu da unidade hospitar.

Nas redes sociais uma campanha para ajudar a esposa enlutada e os dois filhos, para encontrar o cadáver do enfermeiro, foi lançada. No vídeo, com menos de dois minutos, o amigo Eduardo Ribeiro questiona ao Hospital e Governo.

“Hoje [domingo] por volta das 03h00 foi informado a morte do ‘Gil’ para os familiares e amigos, o que acontece é que o corpo dele sumiu, sumiu dasdependecias do Hospital Delphina Aziz. Não se sabe o paradeiro. O Governdo do Estado do Amazonas por meio da sua Secretária de Saúde não comunicou o paradeiro do corpo do enfermeiro Gilberto. Gilberto deixou sua esposa, deixou um filho pequeno para cuidar de pessoas, estava na linha de frente. Isso não é justo. Não é justo que o hospital e nem o Governo não deem conta do corpo do enfermeiro Gilberto […]”, relatou o amigo.

Veja o vídeo; 

Nota

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) informou que será aberta sindicância para investigar o Instituto Nacional de Desenvolvimento Humano (INDSH), responsável por administrar o Hospital Delphina Aziz, após a troca dos corpos de dois pacientes, neste domingo (27), e determinar as responsabilidades pelo ocorrido.

Ainda conforme a SES-AM, a Secretaria Executiva de Controle Interno também acompanha o caso.

A direção da unidade relatou que a troca aconteceu no momento da liberação dos corpos para o serviço funerário, por se tratarem de pessoas com o mesmo nome. Já a direção do Instituto de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH) comunicou que está resolvendo a questão com os familiares envolvidos e abrirá sindicância interna para apurar o caso.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui