Início Destaque Em menos de 48h, mais dez detentos fogem da delegacia de IrandubaNa...

Em menos de 48h, mais dez detentos fogem da delegacia de Iranduba
Na madrugada de domingo (27), 14 detentos fugiram da unidade por um buraco cavado na cela

682
0
Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio do delegado Lázaro Ramos, titular da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Iranduba (distante 27 quilômetros de Manaus), esclarece que após 48h da fuga de 14 presos da carceragem da DIP, na madrugada desta terça-feira (29/06), por volta da meia-noite, mais dez detentos abriram fuga do local, após serrarem as grades da cela em que estavam e conseguirem acesso à cela ao lado, onde foi cavado o buraco por meio do qual os infratores abriram fuga.

Conforme o delegado, os dez foragidos serram as grades da cela com auxílio de sabão, que evitou o barulho durante o ato. Ainda pela madrugada, a equipe plantonista em ronda pela carceragem, detectou a violação das grades e a ausência dos encarcerados identificados como Bruno Oliveira da Silva e Diego Henrique Mendes da Silva, de idades não identificadas; Janderson Gomes de Araújo, conhecido como ‘Concha’; José Alberto Barbosa Noronha; Lissandro de Oliveira Carvalho, 18; Mizael Moraes do Nascimento, 20; Victor Manuel da Costa Oliveira, 20, conhecido como ‘Cara de Mônica’; Wesley Marinho Lima, vulgo ‘Tela Preta’; e Willian Santos de Souza, 22, também conhecido como ‘Bozinho’.
Ainda conforme Lázaro, após tomar conhecimento do fato, as buscas pelos foragidos foram intensificadas e na manhã de hoje, por volta das 6h40, um dos dez foragidos, identificado como Anderson Lima da Silva, de idade não informada, foi capturado.

A delegada-geral Emília Ferraz, ressalta que por meio do Departamento de Polícia do Interior (DPI) da instituição, enviou reforço policial, investigativo e técnico à DIP de Iranduba, para dar suporte às buscas pelos detentos, bem como realizar os procedimentos cabíveis de apuração das circunstâncias em que ocorreram as fugas, e efetuar manutenção e reforma nas celas da delegacia.

A autoridade policial reforça ainda que se durante a sindicância for detectado conivência, que é uma ação criminosa, o caso será em caminhado para investigação da Unidade de Apurações de Ilícitos Penais (UAIP), e se houve falha administrativa, que por algum motivo eles tinham a responsabilidade de fazer e não fizeram, será encaminhado para a Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança Pública que irá apurar as responsabilidades, e se ficar comprovada a existência de descaso, existem várias punições, dentre elas, inclusive a demissão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui