Início Destaque Voluntário brasileiro da vacina de Oxford morre de CovidCaso está em estudo...

Voluntário brasileiro da vacina de Oxford morre de Covid
Caso está em estudo

96
0

Um médico brasileiro de 28 anos que tomou a vacina teste de Oxford morreu de Covid. A informação foi confirmada pela Anvisa, mas o nome dele não foi revelado. A Anvisa e o  Comitê Internacional de Avaliação de Segurança dividiram os dados e ainda avaliam o caso. “Com base nos compromissos de confidencialidade ética previstos no protocolo, as agências reguladoras envolvidas recebem dados parciais referentes à investigação realizada por esse comitê, que sugeriu pelo prosseguimento do estudo. Assim, o processo permanece em avaliação.”

Em nota, o responsável pelos testes na cidade onde morava o médico, no Rio de Janeiro, o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR), afirma que “seguindo normas internacionais de pesquisa clínica e respeitando os critérios de confidencialidade dos dados médicos, não podemos confirmar publicamente a participação de nenhum voluntário no estudo clínico com a vacina de Oxford; Gostaríamos de informar que, após a inclusão de mais de 20 mil participantes nos testes ao redor do mundo, todas as condições médicas registradas foram cuidadosamente avaliadas pelo comitê independente de segurança, pelas equipes de investigadores e autoridades regulatórias locais e internacionais. A análise rigorosa dos dados colhidos até o momento não trouxe qualquer dúvida com relação à segurança do estudo, recomenda-se sua continuidade. Vale lembrar que se trata de um estudo randomizado e cego, no qual 50% dos voluntários recebem o imunizante produzido por Oxford. No Brasil, até o presente momento, já foram vacinados aproximadamente 8.000 voluntários.”

TRÊS HIPÓTESES

O Médico cuidava de pacientes com a Covid em hospitais públicos e particulares do Rio de Janeiro, não tinha nenhuma doença e era muito disposto. De acordo com o Extra, há três hipóteses para a morte dele:

“A primeira é que ele pertencia ao grupo placebo, aquele que recebeu uma vacina de meningite e não o imunizante contra a Covid-19. Uma segunda possibilidade é que ele tenha tomado uma dose, mas esta não tenha sido suficiente para protegê-lo. Uma terceira possibilidade é que ele não foi protegido e a Covid-19 tenha sido agravada por um fenômeno conhecido como amplificação dependente de anticorpos (ADE). Esse é um fenômeno que pode ocorrer em algumas infecções virais. Nele, anticorpos podem intensificar em vez de reduzir os efeitos da doença.”

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui